Com foco na atualização, perícia e auditoria têm novas exigências

Peritos e auditores devem estra atentos. Até o final do ano, eles terão que atingir uma carga mínima de 40 horas anuais de educação continuada para que possam atuar nessas áreas da Contabilidade.

A prática está prevista em uma norma do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). No estado de São Paulo, o cumprimento será fiscalizado pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC-SP).

Vilalta: há regras para os cursos terem validade junto ao CRC

Delegado do CRC-SP para Limeira e Iracemápolis, o contador Paulo Vilalta Neto aponta que a educação continuada com esta finalidade segue normas. Ações do CRC sempre trazem a informação se somam para a carga mínima.

Porém, se o curso, treinamento ou palestra forem ministrados por uma pessoa física ou empresa, o profissional deve se informar antecipadamente se a há o registro desta atividade no cadastro do CRC tendo como objetivo a educação continuada do perito ou auditor.

A educação continuada deve ter ocorrido ao longo de 2017, devendo ser comprovada até 31 de janeiro de 2018 junto ao CRC paulista.

“O objetivo dessas ações é manter os profissionais sempre atualizados, já que a legislação é bastante dinâmica”, contou Vilalta.

Somente contadores com formação em bacharelado podem fazer auditoria e perícia. A prática é vedada ao técnico contábil, que detém o diploma de curso em nível de ensino médio. Segundo o Conselho Federal de Contabilidade (CFC), existem cerca de 6,5 mil auditores e peritos no país, num universo de 530 mil profissionais da área.

Para obter seu registro, os profissionais precisam passar por exames de qualificação técnica e, depois de aprovados, têm de se manter atualizados por meio do Programa de Educação Profissional Continuada.

Até este ano, para integrar o Cadastro Nacional de Peritos Contábeis (CNPC), os profissionais podem escolher entre duas opções: comprovação de realização de perícia, conforme a Resolução do CFC nº 1.502/16, ou exame de qualificação técnica.

A vice-presidência de Registro do CFC informa que, a partir de 2018, a única forma de fazer parte do CNPC será por meio da prova de conhecimentos técnicos.

Já para o Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI), a única forma de ingressar é por meio do exame de qualificação técnica específico.

Escritórios

Vilalta informa que a norma atinge também donos de escritório cuja atividade de perícia e auditoria é permitida, mesmo que não seja feita. Não estão obrigados à educação continuada somente se na relação de atividades do escritório constar a ressalva: “exceto os previstos na alínea C”, numa citação que remete à Lei 9.295/46, regulamentadora da profissão contábil no Brasil.

O site do CRC paulista traz mais informações sobre a educação continuada, bem como datas de exames. “O contador deve atualizar seu cadastro junto ao CRC inclusive seu e-mail, para que possa receber via e-mail informações sobre cursos. Alguns deles são virtuais e também há atividades regionais que contam pontos, o que facilita a atualização”, disse Vilalta.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3452.5192.

Compartilhe:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA AGORA

Notícias similares

CARTA ABERTA AOS CANDIDATOS (AS) DE LIMEIRA

A APECL- ASSOCIAÇÃO PROFISSIONAL DAS EMPRESAS CONTÁBEIS E CONTABILISTAS DE LIMEIRA é uma Associação Civil sem Fins Lucrativos, que representa os Escritórios Contábeis e Contabilistas